Linda Stephanie está morrendo com câncer nos ossos

Para a maioria das moças com apenas de 21 anos de idade, uma viagem a um spa ou ir a um  teatro são uma boa maneira de passar um fim de semana. Mas para Stephanie Knight são os seus preciosos desejo s antes de que a morte bata a sua porta. 

A estudante, de Braughing, Hertfordshire, luta bravamente contra um câncer desde que ela tinha 17 anos, mas soube no dia de ano novo deste ano que sua condição de saúde agora é terminal.

Então, ela decidiu elaborar uma lista de coisas que gostaria de fazer em seus últimos meses de vida. Um de seus pedidos incomuns foi o de realizar seu próprio casamento falso.
"Ela sempre quis se casar e ter muitos bebês, mas considerou difícil ter um parceiro durante o tratamento, apesar de ser uma bela menina ", disse a irmã, Rachel.

"Nós estamos planejando realizar o casamento. A proprietária do local e nossos amigos têm comentado sobre mordomos nus ou talvez até mesmo uma stripper. Se Stephanie permitir é claro...".

Mas muitos de seus pedidos são modestos, ela gostaria de terminar seu curso e se qualificar como uma enfermeira de berçário e assistir a um pôr do sol em um lugar bonito.

Ela gostaria de ir de férias com sua família e cães, à beira-mar com seus sobrinhos e sobrinhas e desfrutar de uma noite "normal" bêbados no bar.

Outro desejo é simplesmente " o de transformar os dias  de alguém com câncer ligeiramente mais felizes".

Sua irmã Rachel Cruz, 31, disse: "Stephanie é uma pessoa altruísta". Ela quer deixar memórias para nós, assim como experiências divertidas para si mesma. "Ela quer que tenhamos boas lembranças de todas as vezes que esteve hospitalizada."

Ela foi diagnosticada com sarcoma de Ewing em 2009 depois que médicos encontraram um tumor do tamanho de uma bola de tênis na parte de trás de sua pélvis. Até quando o tratamento iniciou tinha crescido e cobrir todo o lado direito de sua pélvis.

 Leia também: Veneno de cobra elimina células cancerígenas no câncer de pele

O sarcoma de Ewing é uma forma de tumor ósseo maligno (câncer nos ossos) que atinge principalmente crianças e adolescentes, sendo o principal tumor ósseo maligno primário na primeira década de vida.

Ela respondeu bem a 10 rodadas de quimioterapia e três lotes de radioterapia no primeiro ano e entrou em remissão, em outubro de 2010. Ela voltou para a faculdade para completar seu segundo ano de seu curso de educação infantil e começou a trabalhar em uma creche local.

Stephanie e sua família acreditaram que teria sido curada, porém, eles descobriram tempos depois que o câncer voltara. Ela começou a quimioterapia novamente em abril de 2012, mas desta vez não funcionou.

Em outubro do ano passado, ela teve sua perna direita e parte da pélvis removida, depois que os médicos descobriram o câncer.

Dois tumores benignos anteriormente em seus pulmões também tinha crescido quase uma polegada cada.
A pouco dias os médicos disseram a ela e sua família que não seria capaz de salvar sua vida e só  restava tentar prolongá-la o máximo possível. "Eles nos disseram que o câncer havia retornado  no peito e também no pulmão".

Stephanie teve mais uma rodada de quimioterapia e terá mais duas nos próximos três meses, em uma tentativa de prolongar a sua vida. Ela recebeu um nervo bloqueando o tratamento esta semana, que tirou a dor de seu toco onde a perna foi amputada e esperamos capacitá-la a tentar alguns de seus desejos.

Stephanie também prevê a criação de uma instituição de caridade chamado Wishes Steph para ajudar os adolescentes que sofrem de câncer, fornecendo equipamentos essenciais para a reabilitação.

Ela já ajudou a arrecadar mais de $ 40.000 para o Teenage Câncer Trust desde 2009 - a instituição de caridade que financiou Ward C9 no Hospital Addenbrooke.

Sua irmã Rachel disse: "Estamos determinados a combatê-lo durante o tempo que pudermos para ajudá-la e fazer todas as coisas que ela quer fazer."

Para mais informações sobre Stephanie e sua caridade visite www.stephknight.co.uk

Stephanie a direita desfrutando de uma festa com amigos antes do tratamento

1 comentários:

Gilsara Costa disse...

Ela deveria tentar autohemoterapia,conheço pessoas que estão consigo grandes melhoras com esse tratamento.

Postar um comentário

Meus Links